top of page
  • Foto do escritorVitória Thomaz

Do pretinho básico à eternidade, como Audrey Hepburn virou ícone de elegância para geração Z

Atualizado: 17 de jun.

Inspiradas pela atriz, famosas e fãs revivem seus looks e mantêm vivo legado da estrela 


Audrey Hepburn como Holly Golightly em “Bonequinha de luxo (1961)”. Foto: O povo 


Tenha assistido ou não ao clássico “Bonequinha de luxo” de 1961, dirigido por Blake Edwards, com certeza de alguma forma você já passou pela imagem da atriz Audrey Hepburn, seja na internet, seja na TV. Foi usando um icônico figurino assinado por Hubert de Givenchy que Hepburn entrou para sempre no imaginário e cultura pop. O clássico vestido tubinho preto se tornou uma referência de estilo que permanece até os dias atuais. Assim como outros visuais usados por Audrey Hepburn em sucessos como “A Princesa e o Plebeu (1953)”, “Sabrina (1954), e “Cinderela em Paris (1957)”.


No início do mês de maio, dia 4, a atriz teria completado 95 anos. Audrey morreu em 1993 aos 63 anos, mas seu legado na indústria da moda e cinema é eterno. Seus visuais nas telonas continuam influenciando a indústria, e Audrey Hepburn foi classificada pelo American Film Institute como a terceira maior lenda feminina do cinema clássico de Hollywood.


A historiadora da moda Brigida Cruz afirma que um dos elementos do estilo de Audrey mais marcante foi a elegância em seus looks. “Audrey é tão marcante, foi e ainda é, pela simplicidade e elegância. Modelos simples, mas de bom corte, bons tecidos, tem essa versatilidade nela, que a deixa sempre muito bem vestida, muito bem refinada, é uma elegância mesmo atemporal”.


No Met Gala de 2021, a modelo americana Kendall Jenner chamou atenção por aparecer com um look inspirado em um vestido usado por Audrey Hepburn no filme “Minha bela dama”, de 1964, prestando uma homenagem à atriz.


Comparação entre o vestido de Audrey e a inspiração de Kendall Jenner. Foto: 

Youtube/ParamountMovies/ Instagram/Vogueparis


Já no Met Gala de 2024, a atriz canadense Taylor Russell se inspirou em um penteado da personagem de Hepburn, Natasha Rostova, no filme “Guerra e Paz (1956)” para construir seu visual para o evento


Taylor Russel teve Audrey Hepburn como inspiração para o penteado do Met Gala 2024. Foto: Twitter


O historiador e pesquisador especializado em arte e moda Paulo Debom destaca que a explosão de Audrey no mundo da sétima arte se deu após o longa  “A Princesa e o Plebeu (1953)”. Hepburn interpretou a protagonista Princesa Ann, e levou um Oscar, um BAFTA e um Globo de Ouro de melhor atriz pelo papel. O figurino da Princesa Ann foi assinado pela famosa figurinista Edith Head. 


Logo após esse sucesso, Audrey estrela “Sabrina (1954)” que resultou em sua conhecida parceria com Givenchy. “Nos filmes, ela se aproxima muito das tendências de moda, tanto dos anos 50 como depois dos anos 60. Audrey acompanha muito (a moda), gosta muito e vai então se aproximar do Givenchy e se tornar, na verdade, a cliente mais famosa dele, porque ela também passa a vestir Givenchy nas cerimônias que ela vai. E vários filmes dela, de certa maneira, expressam as tendências da época”, explica Paulo Debom.


Entre os variados visuais icônicos usados por Audrey no cinema, Paulo Debom destaca a beleza do vestido de “Cinderela em Paris (1957)”. “Tem o Cinderela em Paris, com vários looks do Givenchy e também da Edith Head, a gente percebe um diálogo muito forte com as tendências da moda da época. São criações belíssimas, inclusive o vestido que Givenchy faz para o Cinderela em Paris, que ela usa em frente à Vitória de Samotrácia, um vestido vermelho, é algo avassalador”.


Deslumbrante, em 1957, Audrey aparece no  filme “Cinderela em Paris” usando um vestido longo vermelho, desenhado por Givenchy. Foto: Turomaquia


O pretinho básico mais famoso do cinema


A historiadora da moda Carol Lardoza define que os visuais de Hepburn se tornaram uma inspiração a seguir e copiar. “Os figurinos da Audrey se tornaram tão icônicos e chegaram pra gente até os dias atuais principalmente pela construção de imagem dela a partir de um olhar da Edith Head, que foi a sua figurinista em parceria com o renomado estilista de moda Givenchy. Isso fez com que as roupas dela se tornassem itens de desejo social. As pessoas assistiam aos filmes e queriam copiar aquela roupa. Então, por exemplo, o pretinho básico teve ali um recorde de réplicas na época dos anos 60”.


Carol Lardoza afirma que o visual de Audrey Hepburn em Bonequinha de Luxo, como a personagem Holly Golightly, se tornou uma referência eterna quando o assunto é moda, principalmente dos anos 60. E além disso, implantou no imaginário popular a associação de elegância com a cor preta. “Até hoje a gente tem essa concepção do preto como algo chique, do luxo, dessa referência máxima da elegância por causa dessa foto da Audrey em frente à Tiffany comendo um croissant. E eu diria que esse vestido reto, preto, nunca saiu de moda. Ele está sempre ali como esse símbolo do que é ser elegante”.


Audrey vestindo o pretinho básico de Bonequinha de luxo. Foto: divinacomadre


A também historiadora da moda Brigida Cruz acrescenta que um dos grandes motivos de Bonequinha de Luxo ser um filme tão revisitado até os dias de hoje se deve à atuação de Audrey. E ressalta o quanto o tubinho preto é atemporal. “Se tivesse sido outra atriz que tivesse feito esse filme, não seria a mesma coisa. E o figurino icônico do Givenchy, quem não quer um tubinho preto daquele até hoje para usar? Você poderia usar esse figurino até os dias de hoje e vai estar muito bem. Existe essa atemporalidade mesmo”. 


Hepburn e seu legado: fãs comentam sua admiração pela atriz


Audrey Hepburn continua conquistando fãs pelo mundo inteiro, e a jovem Clara Pinheiro é um dos exemplos. Moradora do Rio de Janeiro, conta que se tornou fã de Audrey Hepburn na adolescência, após assistir “Infâmia (1961)” na televisão. Encantou-se pela beleza da atriz e buscou conhecer a história dela.


A estudante de Design Gráfico Clara Pinheiro, de 20 anos, diz que a admiração pela atriz a levou a apreciar ainda mais a sétima arte. “Ser fã da Audrey Hepburn com certeza abriu portas para minha paixão e apreciação por cinema como uma arte. Conhecer referências do passado proporciona uma bagagem cultural maior, e foi justamente isso que aconteceu comigo. Além disso, me levou a conhecer outras pessoas na internet que compartilham do mesmo amor por ela e pude formar laços incríveis”, diz. 


Além disso, a jovem se inspira em sua ídola para compor visuais. Entre seus looks preferidos da atriz, ela menciona o que Audrey usou no famoso filme “A Princesa e o Plebeu (1953)”. “Dentro do meu estilo, adoro usar peças vintage, e Audrey sem dúvida me inspira muito neste quesito. Já me influenciou em usar camisa de gola alta preta, por exemplo. Um look icônico que já recriei para ir à uma festa foi a camisa branca com saia rodada de ‘A Princesa e o Plebeu’ (1953). Acho interessante como este look de mangas dobradas e composto com cabelo curto representa a liberdade da personagem dentro do contexto da história”, comentou.


Clara Pinheiro com seu look inspirado no de Audrey Hepburn em “A princesa e o Plebeu” de 1953. Foto: Acervo pessoal


Audrey Hepburn em “A princesa e o Plebeu” com o visual do qual inspirou a fã Clara Pinheiro. Foto: Pinterest


Na família, Clara é conhecida como ‘Fã da Audrey’. Costuma ganhar presentes referentes à diva, como o livro  ‘Audrey Hepburn, an Elegant Spirit’, que recebeu da mãe.


Clara Pinheiro com o livro da Audrey Hepburn que ganhou de presente de sua mãe. Foto: Acervo pessoal


A estudante de cinema Nathalie Costa, de 21 anos, moradora de Brasília, também é muito fã de Audrey Hepburn. Nathalie conta que começou a se interessar pela carreira de Hepburn aos 15 anos, mas se tornou fã durante a pandemia, em 2020. “Em 2017 eu assisti “Bonequinha de Luxo” pela primeira vez. Acho que seja algo comum para qualquer pessoa assistir esse filme e ficar apaixonado pela Audrey, né? E foi o que aconteceu. Até então eu não tinha assistido nada dela, eu só via algumas fotos muito famosas que passavam na internet. Eu me apaixonei pela beleza dela, pelos vestidos que ela usou no filme, que são muito elegantes, que exemplificam bem a pessoa que ela era”, explica.


“Mas durante a pandemia, por algum motivo, eu fiquei obcecada pela Audrey, e eu resolvi ler uma biografia sobre ela, Enchantment, do Donald Spoto. Foi a partir da leitura daquele livro que eu me conectei com ela de forma assim, imediata.” acrescenta Nathalie.


No Halloween, Nathalie Costa se fantasiou com um look inspirado na famosíssima personagem Holly Golightly, de Hepburn. Segundo a jovem, essa é uma  tentativa de recriar os looks de sua ídola, seja com fantasias ou outras roupas de seu dia-a-dia, e este foi um exemplo disso.


Nathalie Costa fantasiada como a personagem Holly Golightly. Foto: Acervo pessoal


Como estudante de cinema, a fã vê muito valor e importância nas gerações atuais e futuras continuarem assistindo e consumindo os filmes de Hepburn. “Mesmo você não sabendo quem ela é, ou qual filme ela fez, procurando na internet você vai ver alguma coisa sobre ela em algum momento da vida, como aconteceu comigo. Então ela vai estar sempre ali, pelo legado que ela deixou. E isso é importante, pois a imagem dela merece permanecer eternamente viva, ela merece ser reconhecida pelas futuras gerações”.


2 Comments


Lislene Alves
Lislene Alves
May 28

Parabéns pela matéria, amei!! Quem não ama um pretinho Básico.

Like

leticiaaromaob.souza
May 27

Que matéria maravilhosa! Hepburn fez história, é encantador ver isso ser tão bem retratado como é aqui.

Like
bottom of page