top of page
  • Foto do escritorAna Cândida

Na cadeira de rodas, ao infinito e além

Atualizado: 13 de abr.

Mundo Pixar chega ao Rio de Janeiro com experiência nostálgica – e acessível a pessoas com mobilidade reduzida


Foto: Ana Cândida

Imagine entrar na fábrica onde trabalha Mike Wazowski, o “zoiudinho da mamãe” de Monstros S.A. Ou visitar por fora e por dentro a casa de Carl, o velhinho ranzinza de Up: Altas Aventuras. Para uma geração que cresceu acompanhando esses personagens em ação, a exposição Mundo Pixar, em cartas na parte externa do Barra Shopping, oferece a chance de um reencontro afetivo e nostálgico. E se transformou em um sucesso para gente de variadas idades. A exposição, produzida em parceria com a The Walt Disney Company, conta a história da Pixar e de seus principais filmes. Aposta numa experiência interativa, sonora e acessível para todos, mesmo quem tem mobilidade reduzida.


Com cenários inspirados em dez filmes, a exposição leva o visitante para um passeio imersivo por dentro de produções dos estúdios Pixar, como Toy Story, Carros, Monstros S. A., entre outros. A edição carioca teve uma novidade, a presença de um cenário dedicado ao filme Luca, lançado em 2022, no qual os visitantes podiam tirar fotos com os personagens e em cima da motocicleta do filme. A presença dos personagens em 3D torna a experiência muito mais real. Mesmo sem poder tocar em alguns objetos que complementam a cenografia do espaço, o visitante de fato se sente transportado para dentro do filme. Um exemplo disso é o cenário de Up: Altas Aventuras, onde é possível visitar a casa do personagem Carl por fora e por dentro. Os detalhes dos objetos nas prateleiras deixam visíveis o cuidado e a fidelidade com a imersão.

Foto: Ana Cândida

O Mundo Pixar foi projetado para receber e ser acessível para pessoas com deficiência. O Rampas observou que as salas, o hall principal e os banheiros conseguem atender às necessidades de pessoas com mobilidade reduzida e pessoas em cadeira de rodas. As salas da exposição foram pensadas para pessoas no TEA (transtorno do espectro autista), com sonorização e iluminação menos agressivas. Essas pessoas podem, a qualquer momento, sair do percurso e retornar, por qualquer necessidade, com a orientação de um monitor, que também pode acompanhá-las durante o percurso, caso necessário.


Antes de entrar nos cenários dos filmes, os visitantes assistem a um vídeo que explica procedimentos de acessibilidade e em casos de emergência. Além do espaço em si contar com rampas e outras adaptações, o Mundo Pixar também disponibiliza a opção de audiodescrição para pessoas com deficiência auditiva, de maneira gratuita, em seu aplicativo. Os cenários também apresentam placas informativas das salas com texto em braille, trazendo a experiência para pessoas com deficiência visual.


Cenografia presente nos cenários dos filmes da Pixar. Fotos: Ana Cândida

A vestibulanda Júlia da Conceição, de 20 anos, visitou a exposição com uma amiga e disse ter experienciado uma sensação de nostalgia durante os cenários, mesmo não sendo uma fã dos filmes da Pixar. “Confesso que estava um pouco nervosa. Pelas fotos que eu tinha visto na internet parecia ser um pouco cheio, e como eu estava acompanhada de uma amiga cadeirante ficamos com receio de não conseguirmos aproveitar os cenários. Porém, a equipe foi muito acessível, e assim que viam que estávamos com dificuldade de nos movimentar eles deixavam a gente passar para o próximo cenário vazio e retornar depois.” A estudante ainda contou que depois da exposição sentiu que, mesmo adulta, não existe idade para gostar de coisas e assistir filmes considerados “infantis”.




Cenografia presente nos cenários dos filmes da Pixar. Fotos: Ana Cândida

Comments


bottom of page