top of page
  • Foto do escritorGuibsom Romão

‘Todo o povo da Uerj, aquele abraço!’

Atualizado: 3 de jul.

Gilberto Gil emociona e se emociona ao receber o título de doutor honoris causa pela Uerj


Coral da Universidade Aberta da Terceira Idade (UnATI) apresentando a música “Palco”. Foto: Guibsom Romão

A Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) concedeu a Gilberto Gil, músico brasileiro e ex-ministro da Cultura, o título de "doutor honoris causa". A cerimônia, realizada na última terça-feira (18), ocorreu no Teatro Odylo Costa Filho, no campus Maracanã. Os corais da universidade e a Orquestra Sinfônica Brasileira Jovem interpretaram sucessos como “Domingo no Parque” e “Palco”, mas foi ao som de “Patuscada de Gandhi” que o artista se emocionou.


O título, a mais alta honraria da Uerj, é concedido a personalidades que se destacam por suas contribuições à educação, cultura, ciência ou humanidade. A indicação de Gil — que já recebeu a mesma honraria de outras instituições — partiu do Centro de Educação e Humanidades e foi aprovada pelo Conselho Universitário em fevereiro.


Gil emocionado durante a apresentação do coral da Uerj. Foto: Reprodução/TV Uerj

Além de sua renomada carreira como cantor e compositor, Gil é reconhecido como “Artista da Paz” pela UNESCO desde 1999, foi ministro da Cultura de 2003 a 2008 e atuou como embaixador da Organização das Nações Unidas (ONU) para agricultura e alimentação. Formado em administração de empresas pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), onde também é doutor honoris causa desde 2005, Gilberto Gil é o primeiro representante da música popular brasileira a tornar-se um imortal da Academia Brasileira de Letras.


Reitora Gulnar Azevedo e Silva discursando. Foto: Guibsom Romão

Da mesa da cerimônia participaram a reitora Gulnar Azevedo, o vice-reitor Bruno Deusdará, a ministra da Igualdade Racial em exercício, Roberta Eugênio, e a atriz Camila Pitanga. Durante a solenidade, Gulnar destacou a extensa contribuição de Gil à cultura brasileira, mencionando como suas músicas trouxeram esperança e alegria para diversas gerações. Também destacou a atuação de Gil como pesquisador e defensor da cultura popular. “Suas músicas embalaram os sonhos da minha adolescência e juventude. Trouxeram esperança para minha geração em tempos muito duros, onde você mostrou ao Brasil que o Rio é lindo e abraçou todo mundo com uma mensagem de esperança. Você não parou e continuou nos encantando, trazendo alegria para os nossos pais, filhos e netos,” disse a reitora.


O vice-reitor Bruno Deusdará ressaltou que os ingressos para o evento se esgotaram rapidamente, demonstrando a grandiosidade de Gil. Ele afirmou que os valores do cantor, como a reflexão, a criatividade, a fé na vida e na democracia, e a valorização da diversidade, são fundamentos que representam a Uerj: “Sua potência reflexiva, sua força criativa, sua trajetória intensa e sempre renovada, sua fé na vida, na democracia, na certeza de que estar junto é sempre muito melhor do que viver sozinho, de que a diversidade é muito mais rica e interessante do que homogeneidade. Esses valores expressam os pilares do que hoje representa esta universidade pública, gratuita, de qualidade, inclusiva e ousada”.


Ministra da Igualdade Racial em exercício Roberta Eugênio discursando. Foto: Guibsom Romão

Roberta Eugênio, ao discursar, relembrou emocionada seu tempo de estudante na Uerj e o fato de, no mesmo teatro, ter se formado em Direito como cotista racial. E expressou seu orgulho ao voltar ao palco, agora como ministra, para um evento que celebra a influência cultural de Gilberto Gil. “Back to Bahia, back to Uerj. Foi nesse palco que há 12 anos me formei no curso de Direito, enquanto cotista racial, fruto da maior política de reparação para a população brasileira. Hoje retorno, enquanto ministra em exercício do Ministério da Igualdade Racial, para esse evento grandioso que celebra a nossa potência através do reconhecimento de Gilberto Gil, o nosso doutor das coisas belas”, disse a ministra.


No início de seu discurso, Gilberto Gil expressou sua gratidão pela homenagem e elogiou a Uerj por seu papel na valorização da cultura popular brasileira. Ele apontou o significado da honraria como um reconhecimento do esforço da universidade em transcender suas funções diárias para valorizar a arte e os saberes populares: “Grato por compreender nessa honraria um sinal de que essa universidade busca olhar para além de si mesma e ao seu redor, para além das árduas e meritórias tarefas do seu dia-a-dia, de décadas de dedicação à transmissão do conhecimento”.


Gilberto Gil e Gulnar Azevedo após a assinatura do título de doutor honoris causa. Foto: Guibsom Romão

Gil refletiu sobre sua carreira como artista e militante da cidadania, dizendo-se honrado por ter sua vida reconhecida de tal forma. Agradeceu a todos que participaram de sua jornada e estendeu seus agradecimentos aos que poderiam estar recebendo a mesma honraria. “Saúdo a Uerj pelo apreço da vida cultural brasileira. Muito bom ter vivido muito tempo, ter feito muita coisa e ter somado algum valor ao nosso tesouro de ideias e símbolos. A palavra aqui hoje é gratidão”, concluiu o cantor, sendo aplaudido de pé pelos presentes.


Gil cantando “Andar com fé” na Uerj. Foto: Reprodução/TV Uerj

No final da solenidade, o bloco carnavalesco “Mistério há de pintar por aí”, que homenageia o cantor tocando seus sucessos, entrou no teatro com a música “Andar com fé”. Sob aplausos e muita animação dos presentes, Gilberto Gil pegou o microfone e deu uma palhinha de sua canção.


コメント


bottom of page