top of page
  • Foto do escritorLeandra Carvalho

Jardim Catarina, em São Gonçalo, sofre com enchentes

Atualizado: 13 de abr.

Moradores veem casas serem invadidas pela chuva e até por um jacaré


Matéria atualizada em 02/06/2023 às 9h10


Alagamentos têm sido um problema para moradores do Jardim Catarina/ Foto: Maria Luiza Xavier

O bairro Jardim Catarina, em São Gonçalo, tem sido afetado por enchentes em períodos de chuva. Segundo dados da subsecretaria de Defesa Civil do município, no primeiro trimestre de 2023, a água chegou a quase dois metros de altura nas regiões mais baixas do bairro. O Jardim Catarina, com mais de 90 mil habitantes, é a maior favela plana da América Latina, segundo a prefeitura de São Gonçalo.


Em 2013, foi iniciada na comunidade uma obra para a construção de um estádio de futebol com capacidade de receber 43 mil torcedores. O projeto “Catavento”, ou “Catarinão”, foi idealizado pelo presidente do Gonçalense Futebol Clube, o empresário Joacir Thomaz. O custo estimado era de 400 milhões de reais, segundo o que foi divulgado pelo time da Série C do Rio de Janeiro, mas o estádio nunca foi concluído. O espaço onde se encontraria o estádio foi aterrado, e moradores relatam que as enchentes pioraram desde então.


Moradora da Baixada há mais de 50 anos, a aposentada Maria Luiza Xavier disse que as localidades do Pica-pau, Baixada e Ipuca, sub-bairros do Jardim Catarina, são as mais atingidas pelas fortes chuvas. “No início deste ano minha casa encheu duas vezes em dias seguidos, eu perdi tudo. Quem mora na Baixada, Ipuca e Pica-pau sofre em dias chuvosos”, disse Maria Luiza.


A comerciante Elaine Cardoso, moradora do Pica-Pau, contou que nas últimas fortes chuvas, além de perder tudo, ainda viu um jacaré entrar em sua residência. “Minha casa começou a encher, tentei salvar o máximo que pude, até ver um jacaré entrando junto com a água. Sai de lá com as minhas filhas correndo. A casa era própria, vendi por R$5 mil para não sair em total prejuízo.”


Durante esses períodos de chuva, as escolas da comunidade têm servido como ponto de abrigo. Ações sociais promovidas por comerciantes do bairro e por projetos comunitários locais são os grandes responsáveis por arrecadar alimentos e utensílios de higiene pessoal, que são distribuídos nas escolas.

A prefeitura de São Gonçalo, em nota, declarou que medidas não só emergenciais, mas ao longo prazo, estão sendo tomadas para minimizar os impactos causados pelas fortes chuvas no Jardim Catarina. Em fevereiro deste ano, a prefeitura disponibilizou um auxílio aluguel para aqueles que foram atingidos pelas enchentes e anunciou ações de saneamento básico e infraestrutura. O Rampas procurou a prefeitura de São Gonçalo para esclarecimentos sobre a obra do estádio e as consequências que trouxe ao bairro, mas não houve retorno.


Entre 2019 e 2023 o Programa de Registro de Ocorrências da Defesa Civil (PRODEC), registrou 586 ocorrências hidrológicas na comunidade. Dados do Formulário de Informação para Desastre (FIDE), mostram que só neste ano, 781 pessoas ficaram desabrigadas na comunidade do Jardim Catarina, um aumento de 304% em comparação aos três últimos anos.


Comments


bottom of page